Home » Descubra Kuala Lumpur: Roteiro Imperdível de 3 dias na capital da Malásia

Descubra Kuala Lumpur: Roteiro Imperdível de 3 dias na capital da Malásia

by Brazil Expat

Por Chinima Campos, jornalista

Explore a magia de Kuala Lumpur, a vibrante capital da Malásia, onde tradição e modernidade se encontram em uma fusão única. Deixe-se encantar pelas imponentes Torres Petronas, mergulhe na rica cultura local nos templos e mercados tradicionais, e delicie-se com a incrível gastronomia de rua. Com este roteiro cuidadosamente elaborado, prepare-se para uma jornada inesquecível pelas maravilhas de KL.

Dia 1

Considerando que você fará o check-in e deixará as malas no hotel antes de iniciar o passeio, o primeiro dia será leve, com uma caminhada pela região mais famosa da cidade. A dica é seguir diretamente para as imponentes “Petronas Twin Towers”, as maiores torres gêmeas do mundo. Elas possuem 88 andares, 452 metros de altura e foram construídas com traços da arquitetura islâmica. Do alto, lembram uma estrela de oito pontas. Uma passarela conecta as duas torres nas alturas. Se desejar, é possível subir nelas para apreciar a cidade lá do alto! Os ingressos para adultos custam RM98, enquanto crianças e pessoas com mais de 61 anos pagam RM50. Recomendo comprar os ingressos com antecedência pela internet, pois costumam se esgotar rapidamente!

Saindo das torres, siga diretamente para o “KLCC Park”. É uma área verde imensa com um parque infantil, pista de exercícios, piscina pública e muitos pontos ótimos para fotos com as torres ao fundo! No parque, você encontrará bebedouros, banheiros e áreas para sentar e descansar. Uma curiosidade é que parte desse parque foi projetada por um brasileiro: o arquiteto e urbanista Roberto Burle Marx. Outra curiosidade é que tanto o parque quanto as cascatas ao redor foram projetados seguindo as técnicas milenares de Feng Shui, tudo para garantir a prosperidade das torres.

Para a noite, vale a pena se programar para assistir ao show de luzes e água no próprio parque. A experiência é bem semelhante à vibe de Las Vegas! O “KLCC Lake Symphony” acontece às 20h, 21h e 22h. Após o show, aproveite para conhecer a “Saloma Bridge”, uma ponte iluminada com as cores da bandeira da Malásia, localizada em frente às torres. É uma visão deslumbrante que sempre atrai muitos visitantes.

Fotografia arquivo pessoal – KLCC Park

 

Dia 2

No segundo dia, o passeio será na parte antiga da cidade. A primeira parada é na mesquita “Masjid Jamek”. Se descer na estação de metrô com o mesmo nome, você já sairá na porta da mesquita. Ela é uma das mais antigas de Kuala Lumpur, construída em 1909. Para entrar, é necessário seguir as regras relacionadas às roupas. Logo na entrada, eles emprestam o que for necessário para as mulheres cobrirem o corpo e os cabelos. Os homens também precisam cobrir as pernas. Dentro das salas de oração, é preciso tirar os calçados. A Malásia possui mais de 7 mil mesquitas, e é praticamente impossível não se apaixonar pela arquitetura desses templos religiosos.

A mesquita Masjid Jamek está localizada no encontro de dois rios. O “The River Of Life” possui um calçadão com vista para os prédios históricos de Kuala Lumpur e, ao fundo, as novas e imponentes construções, como o “Merdeka 118”, o segundo maior prédio do mundo que está na fase final de construção. No quarteirão ao lado, encontra-se a “Merdeka Square”, que retrata o passado colonial da cidade e o ponto onde foi declarada a independência da Malásia. Também está próxima a Kuala Lumpur City Gallery.

Se desejar conhecer mais uma mesquita, vale a pena visitar a “National Mosque of Malaysia”. Construída em 1965 para celebrar a independência da Malásia, é uma das maiores do Sudeste Asiático e pode abrigar até 15 mil pessoas. É possível agendar um passeio guiado dentro da mesquita, onde explicam muito sobre o Islamismo. Além disso, caso se interesse mais pelo assunto, vale a pena conhecer o “Museu de Artes Islâmicas”, localizado nas proximidades. Um ponto curioso é que essa mesquita tem origem malaia, mas foi construída por chineses e indianos. Além disso, recebeu doações de muçulmanos, budistas, hindus e cristãos.

Para continuar o dia, recomendo um passeio pelas ruas e comércios de “Chinatown”. Esta é uma importante região histórica recentemente restaurada, com muitos cafés e restaurantes charmosos. Na parte de “Petaling Street”, encontra-se o shopping de produtos falsificados, enquanto “Kwai Chai Hong” é praticamente uma galeria a céu aberto. Por lá, vale a pena experimentar os sorvetes de coco e pandan, que são realmente deliciosos! Por fim, não deixe de visitar o “Central Market” para encontrar os melhores souvenirs da viagem.

À noite, dirija-se ao coração do bairro “Bukit Bintang” e você se sentirá quase na Times Square de Nova York. Esta é uma área com shoppings, letreiros luminosos e uma vida noturna agitada! Também não deixe de conhecer a “Jalan Alor”, uma rua repleta de restaurantes e barracas com comida de vários países asiáticos.

 

Fotografia arquivo pessoal – Masjid Jamek Sultan Abdul Samad

 

Dia 3

O terceiro dia pode começar em “Batu Caves”, um dos templos hindus mais importantes fora da Índia. Na entrada do complexo, há uma estátua de 42 metros de altura da divindade Lord Murugan, deus da guerra segundo a crença hindu. O dourado brilhante contrasta com o paredão de calcário e vegetação verde que fica ao fundo. A entrada é gratuita e para chegar ao topo do templo é preciso subir os 272 degraus coloridos. O caminho é sempre uma aventura, acompanhada por muitos macacos.

Fotografia arquivo pessoal – Batu Caves

Saindo de Batu Caves, vale a pena seguir para “Little India” e se deliciar nas ruas floridas repletas de lojas e restaurantes indianos. Sugiro experimentar o “banana leaf” para o almoço, um arroz condimentado servido com outros acompanhamentos em uma folha de bananeira.

Ainda no clima dos templos, vale a pena visitar outro. Desta vez, budista! O “Thean Hou Temple” está situado no topo de uma colina e, se tiver sorte, poderá apreciar um incrível pôr do sol deste local!

Fotografia arquivo pessoal – Brickfields, Little India

 

Fotografia arquivo pessoal – Thean Hou Temple

 

A Culinária Malaia!

Comida boa é o que não falta em Kuala Lumpur… Anota aí o que você definitivamente precisa provar da culinária malaia:

“Roti Canai”, eleito o melhor pão de café da manhã do mundo, desbancou até o nosso pão de queijo, que ficou em terceiro lugar na lista publicada por um respeitado guia online de gastronomia.

Para acompanhar o pão, vale pedir o “Teh Tarik”, a bebida nacional da Malásia feita de chá preto misturado com leite condensado.

Para o almoço, encare sem medo o “Nasi Lemak”, o prato mais tradicional do país. Os malaios comem esse prato principalmente no café da manhã, mas para os brasileiros, os ingredientes podem combinar mais com o horário do almoço. Ele tem arroz cozido no leite de coco, frango, ovo cozido, amendoim, pepino, peixe dessecado e um molho bem apimentado (que você pode pedir à parte, caso não curta pimenta!).

De sobremesa, aproveite a crocante “Apam Balik”, uma panqueca com massa sabor baunilha, recheada com açúcar, amendoim torrado, milho doce cremoso e leite condensado. Pode acreditar: essa combinação dá certo e fica uma delícia!”

Se tiver dois dias a mais, recomendo aproveitar um para conhecer “Putrajaya”, uma das cidades mais novas do mundo conhecida por sua arquitetura moderna, belos jardins e imponentes edifícios governamentais. Putrajaya é a capital administrativa da Malásia e oferece aos visitantes a oportunidade de explorar suas mesquitas, pontes magníficas sobre lagos artificiais e a atmosfera tranquila de suas ruas planejadas cuidadosamente. Confira nossa matéria sobre Putrajaya e Genting Highlands.

 

 

Chinima Campos, roteirista de TV, capixaba, esposa do Dudu, mãe da Duda e da Cecília, e taurina apaixonada por comida, cultura, viagens, fotografia e pessoas.

Related Articles

Leave a Comment

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept