Home » Orçamento para 2022: 05 erros muito frequentes

Orçamento para 2022: 05 erros muito frequentes

by Brazil Expat
orçamento 2022

5 erros muito frequentes quando falamos de planejamento financeiro.

Final de um ano, início de um próximo. Hora de planejar o orçamento do novo ano, uma etapa muito importante para a saúde financeira da família (se não a mais).

Neste link, você pode baixar a Planilha de Planejamento Financeiro Doméstico para 2022 e os próximos anos a vir. Nela você poderá controlar suas receitas, seus gastos e economias mensais.

Mas atenção para não cair em alguns erros comuns.

Estes são 5 erros muito frequentes quando falamos de planejamento Financeiro:

  • Não ter um orçamento;
  • Anotar cada gasto;
  • Listar categoria “gastos variáveis”;
  • Confundir gastos esporádicos com gastos correntes;
  • Não separar investimentos por objetivos.

    Não ter um orçamento

    Qualquer planilha deve ter uma coluna para o orçamento. Esse é o primeiro passo: definir sua estratégia e o rumo que deseja seguir. Um excel sem orçamento é como um barco que parte de um porto sem saber seu destino. O Orçamento é o parâmetro que te dirá se está indo bem ou mal. Sem ele, não se deve chamar nem de Planejamento Financeiro porque orçar é justamente planejar. Caso contrário, vira apenas uma constatação financeira passiva.

    Anotar cada gasto

    Anotar cada pequeno gasto pode ser desmotivante, e muitas vezes esquecemos de colocar na planilha. O recomendável é que no seu orçamento haja um espaço fixo para estas despesas do dia a dia. Chamo de “mesada”: Trata-se de um valor fixo semanal, que serve exatamente para eu gastar com “eu não sei o que”. Pode ser qualquer coisa. Sei quanto é o valor, mas não preciso anotar cada gasto, entra tudo na linha de “mesada”.

    Listar categoria “gastos variáveis”

    Muitas planilhas dividem as despesas em fixas e variáveis e alguns planejadores financeiros te indicam sempre cortar gastos variáveis. Um exagero. O que se chama de gastos variáveis são despesas com cinema, teatro, restaurantes, viagens, etc. Acontece que temos uma tendência em repetir nossos costumes de forma que gastos variáveis constituem o que chamamos de padrão de vida. O segredo é tornar gastos variáveis em gastos fixos. Se sua “mesada” semanal (semanada) for de $100, você tem $100 para gastar naquela semana com estas despesas variáveis. Se economizar numa semana, acumule para a outra. Assim, você transforma gastos variáveis em fixos trazendo maior controle e previsibilidade às suas finanças.

    Confundir gastos esporádicos com gastos correntes

    Imagina que você não tenha juntado dinheiro o ano inteiro para viajar nas férias. Ao checar sua planilha no mês de férias: um rombo! O mesmo acontece ao trocar de carro ou fazer um curso. Esses gastos são esporádicos, ou seja, não acontecem todos os meses. Nem sempre a receita e os gastos caminham juntos em relação ao tempo.

    É importante separar o joio do trigo. Gastos esporádicos devem ser tratados de forma diferente das despesas correntes do dia a dia. Por isso, a planilha deve ter um espaço para despesas não recorrentes. Nada mais é que um espaço para indicar o quanto você deve poupar por mês para cumprir cada objetivo não recorrente. Se planeja fazer uma viagem de $6 mil no ano, economize $500 por mês ao longo de 12 meses. Quando a viagem chegar, já terá todo o montante que precisa.

    Não separar investimentos por objetivos

    A maioria dos brasileiros não poupa nada. E mesmo entre os que poupam, grande parte não sabe ao certo para que está poupando. Os problemas deste tipo de comportamento são vários. O primeiro é que a pessoa tem a falsa impressão de que está fazendo a coisa certa pois poupa todo mês sem se tocar o quão errada está, já que de tempos em tempos acaba mexendo nos seus investimentos por diversas razões.

    Em segundo lugar, produtos financeiros são bons ou ruins dependendo do que se pretende fazer com o dinheiro investido. Não existe “o melhor investimento”, tudo depende do motivo pelo qual se deseja investir. É preciso ter clareza sobre os motivos pelos quais se deseja poupar e investir e, claro, respeitar o seu planejamento. Espero que façam bom uso da Planilha!

    A todos, um grande abraço!

    Riko é Economista pela UFRJ, também formado em Relações Internacionais e MBA em Finanças pela Bordeaux University School of Management, na França, é um legítimo Brazil Away, tendo vivido em 5 dos continentes. É autor dos livros “Aprenda a investir na Bolsa de Valores” e “E se você não morrer amanhã?” sobre planejamento financeiro pessoal. Este último foi publicado pela editora europeia Chiado Books, e, em seu lançamento, foi o livro brasileiro sobre finanças pessoais mais vendido da categoria, na Amazon Brasil. Foi, posteriormente, traduzido para o inglês e o francês. Riko também é o autor do blog henriquecer.com, com publicações semanais desde 2013, e do Podcast do Riko Assumpção, disponível no Spotify, entre outras plataformas.

    Quer conhecer mais sobre Riko Assumpção? Visite: @11riko

    Veja mais em nossa seção de finanças.

Related Articles

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept